Jornalista brasileiro chama rainha de “piranha” e gera crise diplomática

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Icone de Internacional Internacional

publicado em 15/04/2011 às 08h53:

Jornalista brasileiro chama rainha
de “piranha” e gera crise diplomática

Episódio ocorreu durante passagem do programa Manhattan Connection, da Globonews
Do R7
Naser Ayoub/ReutersNaser Ayoub/Reuters
Rania, a rainha da Jordânia, conversa com crianças durante visita a uma escola primária em Madaba

Publicidade<script language="JavaScript" type="text/javascript">document.write('<a href="http://mfp1.adnetwork.com.br/mfp/adnetwork/maestro/rm/$d=426$u=9019898803799245989$t=1$s=63$b=70207$cr=18414$f=16213$c=0$n=531175094$ct=http://clk.atdmt.com/QZ1/go/312660060/direct/01/" target="_blank"><img src="http://view.atdmt.com/QZ1/view/312660060/direct/01/531175094"/></a>');</script><noscript><a href="http://mfp1.adnetwork.com.br/mfp/adnetwork/maestro/rm/$d=426$u=9019898803799245989$t=1$s=63$b=70207$cr=18414$f=16213$c=0$n=531175094$ct=http://clk.atdmt.com/QZ1/go/312660060/direct/01/" target="_blank"><img border="0" src="http://view.atdmt.com/QZ1/view/312660060/direct/01/531175094" /></a></noscript>
Uma edição do programa Manhattan Connection, da Globonews, veiculada em 3 de março, criou uma crise diplomática com um comentário do jornalista Caio Blinder, informou o blog de Christina Lemos.
Blinder, em conversa com Lucas Mendes, chamou a rainha da Jordânia, Rania, de “piranha”. Ele repetiu a ofensa e generalizou o tratamento a outras primeiras-damas de países do Oriente Médio e do norte da África.
Devido à repercussão do caso, que gerou uma crise diplomática. Christina informou que o embaixador da Jordânia no Brasil, Ramez Goussous, encaminhou nota verbal ao Itamaraty, formalizando protesto contra o comportamento do jornalista. Outros representantes de 17 países apoiaram e também manifestaram seu protesto pelo comentário.
Christina ainda disse que Eduardo Neco, da Redação do Portal Imprensa, conversou com Blinder por telefone. O jornalista, que mora em Nova York, disse que errou, mas que considera o episódio superado.
- Eu sabia que a gente tinha feito uma besteira, mas já acabou essa história pra mim. E houve a retratação no ar. O Lucas [Mendes], editor-executivo do Manhattan, pediu desculpas pelo meu termo ofensivo. E nós demos as mãos à palmatória.
A nota da jornalista ainda informa que, apesar de aliviado, Goussous disse que continuará a pedir providências pelo comportamento. Diplomaticamente, um pedido de desculpas é geralmente realizado por escrito e para ter o caso como encerrado costuma-se esperar uma manifestação da outra parte. Fonte Noticias

1 comentários:

Marine Cristina disse...

Pois é, mas isso é mais um reflexo do exemplo Dilma, que saiu pelo mundo afora criticando governos e politicagens internacionais, como a recente crítica ao governo Chinês, diga-se de passagem que se ela não fosse protegida diplomaticamente, teria sido presa pelo governo Comunista-Chinês.
As pessoas andam abusando do direito a liberdade de expressão, sem respeitarem o próximo, tornando-se libertinas...
Smacks no coração.

 
 
 

Postagens populares